sexta-feira, 3 de julho de 2020

Jesus V... - 3.3

Graça, Paz e Alegria!

Mensagem do Portal Evangélico Compartilhando Na Web.

Vale a pena ler de novo

Mensagem enviada em 15/12/2006

Quando a Adriana ficou grávida, nos primeiros meses, ela ainda ia sozinha pro trabalho (hoje - 2006 - eu levo e busco todos os dias). Um colega de trabalho, quando a encontrou, já cumprimentou pela gravidez. Ela queria saber como ele tinha ficado sabendo. Ele respondeu: “vi o seu carro na vaga especial para gestante. Sei que você não pararia lá para tirar vantagem. Só pararia lá se estivesse grávida”. Mesmo sem dizer uma palavra, o testemunho estava dado! É isso que devemos fazer com o Evangelho: mesmo que não usemos uma única palavra para falar sobre Jesus, devemos viver como quem serve a esse Senhor e com nosso testemunho anunciar a verdade.

Como escrevi anteriormente, o versículo 10 do texto citado deixa claro que o Evangelho precisa ser testemunhado a todas as nações. O versículo 14 do capítulo 24 de Mateus é um pouco mais claro quando cita a mesma passagem:

E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.

Só quando o Evangelho for anunciado para as nações virá o fim!

Assim, você e eu somos um pouco como João Batista. Lembra que ele precisava preparar o caminho para a manifestação do Messias? Então... Você e eu precisamos anunciar o Evangelho a todas as nações para que o fim aconteça e Jesus retorne dos Céus para nos buscar e para que Ele esteja conosco e nós estejamos com Ele onde quer que Ele esteja. Preparamos o caminho para que Jesus, que um dia subiu aos Céus, da mesma forma, retorne de lá para nos buscar.

A terceira mensagem ainda não terminou! Na próxima semana, enviamos a última parte do texto, permitindo o Senhor!

Forte abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Alertas - 6

Graça, Paz e Alegria!

Mensagem do Portal Evangélico Compartilhando Na Web.

Leia Mateus 23.13-36

Versículos 23-24 - Agora Jesus fala contra a prática de exaltar as coisas menos importantes em detrimento das questões realmente importantes. Não apenas da religião, mas aqui o foco acaba sendo esse.

Esses homens faziam questão de dar dízimos até de pequenas coisas, mas seu coração não estava atento ao que revelava a lei de Deus, não amavam esses ensinamentos e muito menos praticavam de fato o que era a vontade do Senhor.

De nada adianta o legalismo na hora do dízimo, para ter um benefício da Lei (bênção das janelas do céu abertas, repreensão do devorador), se o coração não segue com alegria, amor e compaixão a vontade do Senhor. Um mero aspecto legal não é suficiente para o todo! E isso vale para todos nós, não apenas para aqueles que ainda estavam nos dias da Lei! Se sua preocupação é ter algum benefício ao fazer qualquer coisa, mas não tem o coração de forma plena nas coisas do Senhor, de nada adianta! Não apenas (mas também) na questão financeira.

Precisamos ir além do "aspecto legal", do "benefício" que nos é prometido. Em Jesus, temos o benefício completo, não recebemos algo por observar alguma coisa em especial. A maldição, Ele levou (Gálatas 3.13). Não faça algo por querer benefícios, mas por compromisso com o Senhor e alegria por já ter sido salvo! Não há erros para um judeu em seguir a Lei, mas o Senhor mesmo já nos providenciou, por Graça, o caminho de acesso! Não precisamos nos preocupar com os detalhes, mas com a totalidade de um coração na presença do Senhor!

Seguimos na próxima semana, permitindo o Senhor.

Forte abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Resumo dos livros da Bíblia - Josué (3)

Graça, Paz e Alegria!

Mensagem do Portal Evangélico Compartilhando Na Web.

O nome Josué tem origem a partir do hebraico Yehoshu’a ou Yesua, que significa “Deus é salvação”. Apresenta o mesmo significado de Jesus, forma aramaica de Josué.

Por conta de textos como encontrados em Números 13.8 e 14.6, acredita-se que Josué poderia ser Oseias e que Moisés mudou seu nome, marcando o processo de experiência com Deus.

Em Êxodo 17, somos informados que Moisés delegou a ele o comando das tropas israelitas que lutaram contra os saqueadores amalequitas em Refidim. Em Êxodo 33.11, Josué é descrito como um jovem escolhido por Moisés para ser seu assistente pessoal.

Josué serviu como auxiliar direto de Moisés quando ele recebeu a Lei no Monte Sinai. Além disso, acompanhou Moisés, foi até a tenda onde encontrava e ouvia o Senhor (Êxodo 24.13; 32.17; Números 21.28).

Entendemos que esse foi um período de muito aprendizado para Josué, que entendeu como esperar no Senhor e aprendeu a ser um adorador fiel. Foi um tempo de discipulado! Mostrando que é importante desenvolver liderança enquanto lidera e preparar para a caminhada.

Seguimos na próxima semana, permitindo o Senhor!

Forte abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

terça-feira, 30 de junho de 2020

O POTE RACHADO

Graça, Paz e Alegria!

Mensagem do Portal Evangélico Compartilhando Na Web.

Pr. Sylvio Macri

Conta-se a história de um trabalhador pobre que ganhava a vida transportando água para os seus vizinhos. Para isto ele usava dois potes, que pendurava nas pontas de uma vara. Um dos potes, contudo, tinha uma pequena rachadura, de maneira que quando o carregador chegava ao lugar onde devia entregar a água, uma grande parte dela se perdera pelo caminho.

Isto durou muito tempo, até que, um dia, o pote rachado ficou tão envergonhado por perder tanta água, que falou ao seu dono: “Sinto-me tão incompetente e tão incapaz por perder tanta água. Estou frustrado e humilhado por não ser como o outro pote e prestar a você um serviço completo. Sempre que você chega ao destino só consigo fornecer metade da água que tinha ao começar a viagem. Sinto-me tão inútil!”.

Ao ouvir estas palavras, o carregador de água disse ao pote rachado: “Infelizmente você tem estado tão preocupado em reter a água, lutando contra o problema da rachadura, que não tem reparado numa coisa maravilhosa que aconteceu durante todo este tempo. Mas venha, que eu lhe mostrarei”.

O carregador de água foi com o pote até a fonte onde apanhava água diariamente, e começou a percorrer lentamente o caminho que fazia todos os dias, mostrando-lhe as belíssimas flores que ficavam à margem do caminho. Finalmente disse-lhe: “Está vendo estas flores? Elas são regadas várias vezes ao dia pela água que vaza da sua rachadura, por isso estão tão bonitas! Se não fosse essa rachadura, não haveria flores à beira da estrada, a alegrar a vida dos que passam por aqui.”

Às vezes gastamos toda a nossa energia em verificar nossas deficiências e tentar superá-las. Por fim sentimo-nos frustrados e inúteis ao nos compararmos com outras pessoas que parecem ser muito mais bem sucedidas. E tão ocupados ficamos em tais esforços e pensamentos que esquecemos de reparar aquilo que está acontecendo em torno de nós: o fruto, às vezes inesperado, do nosso trabalho “limitado”; a alegria de Deus e dos nossos semelhantes pelo nosso esforço. Se você acha que é um pote rachado, repare nas margens do caminho!

Forte abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Discipulado (2)

Graça, Paz e Alegria!

Mensagem do Portal Evangélico Compartilhando Na Web.





Forte abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Biografias de reis do Reino do Sul - Zedequias (3)

Graça, Paz e Alegria!

Mensagem do Portal Evangélico Compartilhando Na Web.

O profeta Jeremias aconselhou Zedequias a que se rendesse, mas ele recusou. No fim, a cidade foi tomada.

Zedequias chegou a fugir, mas não por muito tempo. Foi preso na planície de Jericó e levado à presença de Nabucodonosor, que então estava em Ribla da Síria. Ali viu matarem os seus filhos, sendo-lhe depois tirado os seus próprios olhos. Foi levado atado com duas cadeias de bronze para a Babilônia.

Depois desse acontecimento, Nabucodonosor mandou queimar a Casa do Senhor e a casa do rei, assim como todas as casas de Jerusalém, seus muros foram derrubados e levou cativo para a Babilônia mais alguns de Judá que tinham ficado.

Nabucodonosor nomeou a Gedalias governador sobre eles, e o que restava dos utensílios que Salomão tinha feito para a Casa do Senhor foram levados para a Babilônia.

Dessa forma, Judá esteve em cativeiro babilônico por setenta anos, para se cumprir o que o Senhor falara por meio dos seus profetas, tudo por causa da maldade e infidelidade do povo para com Deus.

Forte abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor